POR QUÊ A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE STARTUPS DEVERIA SER REFUNDADA OU FECHADA

A primeira coisa que a maioria dos que lerem este texto vão pensar é: Por quê o Guto está escrevendo isso? E por quê agora? Então de cara eu preciso responder isso. E a resposta é relativamente simples.

Ter uma consciência leve e limpa não tem preço e não tem prazo de validade para que isso aconteça. Simples assim. Tive bastante tempo para uma bela reflexão e resolvi contar esta história, que sob muitos aspectos foi a maior decepção que já tive com uma geração que deveria ter o dever de fazer as coisas diferentes. Quando terminar este texto, tenha a certeza de que o objetivo dele é apenas educativo. Tá faltando isso no Brasil. Outra coisa é que este assunto, para mim, acaba aqui. O relato é definitivo. Não dependo do dinheiro do ecossistema para nenhum projeto meu. Nunca dependi. E lamento de quem o utiliza para fins que não os mais nobres. A vergonha permanecerá sempre.

Muitos de vocês já me viram em Campus Party, Startup Weekends, eventos da própria ABStartups, palestras, enfim. Já dou minha parcela de contribuição para o ecossistema há um tempo considerável e em 95% deste, por crença pessoal, sem cobrar nada (obviamente não critico quem cobra, mas eu apenas me sinto bem devolvendo o que tive e tenho de bom na minha vida).

Mas uma coisa que sempre me incomodou bastante é o fato do ECOssistema ter virado EGOssistema. E muitos começaram a criar estruturas para que fossem beneficiados, sob a imagem de que tem algum sucesso ou de que são idôneos e corretos. Pois bem. Hoje você verá que parte do empreendedorismo brasileiro na verdade é uma grande farsa. Uma mentira completa, composta por jovens e adultos que muitas vezes se manifestam pela moral, pela ética, por um Brasil melhor, menos corrupto, mas fazem o que criticam debaixo do nariz de toda uma comunidade cega por holofotes e muito pouco crítica com os seus. Muito pouco ou nada na verdade.

Em 2016 assumi a presidência de uma agência do governo federal, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. Ao longo de 3 anos e meio na presidência pudemos fazer um grande trabalho. Não preciso abordar isso neste texto porque o reconhecimento já é público e o legado do trabalho é tão visível que até hoje a maior parte dos projetos da agência permanece sendo a construção que fizemos no nosso mandato. Mas aí entra a ABStartups.

No site da ABStartups está escrito: "A Abstartups existe para construir o ambiente ideal para as startups transformarem o país. Nós inspiramos, capacitamos, conectamos e advogamos pelas startups, porque acreditamos no papel da inovação como motor de transformação positiva para o país." E nos valores a palavra TRANSPARÊNCIA aparece em último lugar (talvez este texto ajude a explicar o motivo disso

Ao longo da minha presidência, sempre apoiei irrestritamente os eventos do ecossistema de inovação no Brasil. Minha crença permanece sendo de que uma nova economia está aí e esta exponencialidade deve atingir a todos, pelo bem do país. Neste sentido não foram poucos os eventos em que a ABDI esteve presente como convidada e como patrocinadora. E claro, não poderíamos deixar de estar como parceiros da Associação Brasileira de Startups, Endeavor, Startup Summit, Campus Party, Game XP, Gramado Summit, Porto Digital entre tantos outros.

A ABStartups sempre me chamou muito a atenção. Figuras como Diamand (que só conheço pelo excelente sexy canvas), Gui Junqueira (de quem admiro o trabalho) e Amure Pinho (que é a gestão a que me refiro neste texto) sempre tiveram getões festejadas. Nesta última, do Amure, claramente houve um avanço da discussão do tema e interesses das startups e o CASE, a Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo se tornou um grande evento. Dentre os apoios que demos a alguns eventos estava o patrocínio do CASE de 2018, que ocorreu no PRÓ MAGNO, em São Paulo. Um patrocínio grande, bem grande. Pois bem. É aqui que começa a história do que foi, na minha visão um dos maiores golpes e vergonhas que já ouvi e vivi no meio do empreendedorismo brasileiro.

Em 15 e 16 de agosto de 2019 eu estava participando do Startup Summit, em Florianópolis. Me lembro bem, que enquanto eu conversava com um pessoa da diretoria da ABStartups e ríamos, meu telefone tocou. Era minha equipe jurídica de Brasília me informando que havia uma grave inconsistência na apresentação de comprovação de gastos da ABStartups como o evento DE 2018, requisito fundamental para a aprovação de um novo patrocínio (para que vocês entendam, primeiro se demonstra onde e quais os valores se gastarão para só depois o órgão do governo, no caso a ABDI, liberar o recurso do patrocínio). Imediatamente perguntei que tipo de inconsistência seria tão grave, uma vez que era a ABS, a representante do setor de startups no Brasil e as pessoas que compunham sua diretoria, até aquele momento eram completamente inquestionáveis.

Veja, e quero deixar isso bem claro, pois é grave. Organizações do governo federal são fiscalizadas por órgãos como Tribunal de Contas da União e Ministério Público Federal.

Imediatamente me foi enviado a cópia de cheques e notas fiscais para comprovação dos gastos da ABStartups, mas tínhamos a informação do próprio banco que as imagens dos cheques em nosso poder não batiam com os valores dos cheques reais. As notas em questão envolviam as empresas Blanko E PRÓ MAGNO (local da realização do evento). Eu tinha dificuldade em entender o assunto porque de fato, se a informação que minha equipe havia me passado era real, então a ABStartups havia fraudado uma prestação de contas para uma agência do governo federal. Uma fraude já seria um crime de qualquer forma. Fraudar uma prestação de contas de um patrocínio de uma agência federal seria gravíssimo. Fiquei de ver em Brasília o que havia acontecido. Chamei uma pessoa da diretoria da ABStartups que estava no evento e disse claramente: "Espero que estejamos vivendo uma grande confusão aqui e que vocês possam explicar isso. Porque se eu chegar em Brasília e a informação for correta, vocês não só cometeram um crime seríssimo como deveriam ter a Associação fechada.".

Já em Brasília, meus medos se confirmaram. Em uma fraude absolutamente grotesca e juvenil, a ABStartups alterou os valores das cópias dos cheques e nota fiscal anexados para a prestação de contas, e estou falando na casa das centenas de milhares de real. O que era na casa dos R$ 200.000,00 virou na casa dos R$ 600.000,00. Eu não sabia sequer onde enfiar a cara. Não era possível que uma organização tão importante como a ABS tivesse feito aquilo. Mas fez. Não era possível que tivesse feito comigo, um dos maiores apoiadores do ecossistema neste período de 2016 a 2019. Mas fez. A esta altura eu já estava próximo de ser saído do governo Bolsonaro por um atrito com um membro da equipe de Paulo Guedes. Imagine tudo isso acontecendo ao mesmo tempo. Imediatamente (voltando um pouco no tempo), ainda em Florianópolis, durante o Startup Summit, determinei a instauração de uma investigação da ABDI sobre o tema. Se fosse comprovada a fraude, como foi, a ABS seria glosada (Para a Administração Pública, entende-se que glosa é o aprovisionamento de recursos com a finalidade de proteger a Administração na relação contratual, podendo abranger situações específicas prescritas em cláusulas contratuais, abarcar ilegalidades ou ainda irregularidades que constituam afronta ao erário público). Em resumo, a ABStartups deveria devolver aos cofres da ABDI o valor total da fraude comprovada.

A esta altura minha decepção já era imensa e confesso que a FÉ no ecossistema havia ido para o brejo. Aquilo era um escândalo. Uma vergonha sem precedentes na história do ecosistema brasileiro de startups e no discurso ético das startups e de toda uma geração para o Brasil. Por várias vezes questionei se alguém seria punido, do presidente à diretoria. Perguntei se os mantenedores da ABS, AMBEV, AWS, B3, BOSSA NOVA, DARWIN, DISTRITO, EDP, HSM UNIVERSITY, KPMG, MERCEDES BENZ, NEXUS, SALESFORCE, RANDON, TECBAN, VALE, VOTORANTIM, WOW , sabiam da fraude e porque nada fizeram. Por quê não se manifestaram?

Será que o Conselho de Mantenedores da entidade concordava com o crime? Até hoje não sei. E se esta mesma fraude também tivesse acontecido com os recursos do SEBRAE. Sabe quanto o Sebrae já colocou em patrocínio para os eventos da entidade? Quem vai saber? Alguém investigou isso também? Alguém apresentou uma auditoria em todas as notas daquele ano? Os controles estão adequados para pegar este tipo de falcatrua? E a verdade é que até hoje eu não soube de alguém que tivesse sido punido na ABStartups pelo crime comprovado. Nem processado. Na verdade a ABStartups puniu uma pessoa sim. Uma pessoa correta. A vice presidente Tânia Gomes. A única pessoa que se mostrou indignada quando soube da história e exigiu uma investigação interna, que eu saiba, foi a Tânia. E foi punida. Pressionada. E acabou saindo da ABStartups. Triste e chateada, porque sabia o quanto poderia contribuir para o ecossistema. Mas o status quo não perdoa. E não estou falando da política de Brasília não. Estou falando do ecossistema brasileiro de startups. E sabe porque faço questão de registrar o nome da Tânia? Porque no Brasil ser correto e exigir o certo tem um preço. Te cobram um preço. Se você não concorda com a sacanagem, te excluem do meio. Te pressionam. Dizem que você é louca, temperamental. Mas no fim, a médio prazo, a verdade sempre aparece. Porque você é correta. E isso é o que importa de fato para aqueles que conhecem a verdade dos fatos.

Depois da minha saída da ABDI, fiquei em contato com o presidente que me substituiu, Justamente para deixar claro que a apuração não deveria parar sob hipótese alguma. E não parou. Pela FRAUDE comprovada, a ABStartups devolveu aos cofres da ABDI a quantia de R$ 652.393,29. Você acha pouco????? Quase 1 milhão de reais que foram fraudados para obtenção de sabe-se lá que tinho de ganho que certamente não era lícito (afinal, lícito você não precisa fraudar). Você soube disso? DUVIDO. Mas estou contando agora. Você acha que alguém foi punido na ABStartups? Que alguém foi responsabilizado pelo crime de fraudar uma prestação de contas a uma agência do governo? NÃO. E sabe por quê isso não aconteceu?

Porque o Brasil amigos, é uma zona. Porque o ecossistema é em grande parte uma mentira. Uma série de egos reunidos para ganhar prêmios disso e daquilo, mentores do ano, uma festa incrível (e que já estive inclusive), mas é uma mentira deslavada, porque falta ética, falta moral, falta caráter e mais do que isso, nos falta, como ecossistema, vergonha na cara para punir os nossos e ser mais transparentes.

Talvez você não entenda a gravidade do que relatei neste texto. E se não entende é justamente por este motivo que o Brasil não vai andar para 90% de vocês. Estou falando da entidade que deveria ter o dever de zelar pela imagem e interesse das startups no Brasil, dos associados e até mesmo dos seus mantenedores. Quando isso acontece e nada é feito e todos se conformam com a proteção das pessoas que são um grupo mais fechado, que jogam Poker juntas, que adoram postar life style empreendedor de alto impacto"ou "performance" é porque perdemos. E perdemos o principal, o caráter e a indignação. No fundo, talvez a ABStartups devesse mesmo era ser fechada e refundada como Confederação Nacional. Com parâmetros claros de ética e moralidade.

Você vê a galera em programa de televisão, mentorando, criando conteúdo para investidores e cobrando por isso. Tudo muito bem envelopado. Hi level. Alta performance. Criação de fundos, aceleradoras e eventos. Mas você não sabe o que acontece por trás. E sabe porque você não sabe? Porque eles se protegem. Se blindam e criam uma imagem de respeito, de ética. Infelizmente para você, preciso contar um segredo. Uma boa parte desta galera jovem, que comanda organizações, que diz que tem exits na conta, uma boa parte está coberto de lama e até outro dia não tinha grana pra comprar um tênis ou pagar um aluguel. De onde você acha que esta galera tira o dinheiro?

Por isso a ABStartups, para mim, se tornou uma grande mentira. Porque protegeu uma fraude e ao que eu saiba sequer comunicou seus mantenedores (gostaria de estar enganado) do crime em que presidência e diretoria deveriam ter sido responsabilizados. Agora a ABStartups está em novas mãos. E eu imagino o por quê a gestão mudou….Espero que seja uma nova era. Mas é difícil acreditar nisso quando a galera não corta na própria carne por que "temos de proteger os nossos amiguinhos".

Tem dúvida se estou falando a verdade? Peça na Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) a glosa e os documentos que comprovem este texto. Ou falem com a a Tânia Gomes, ex-vice presidente da ABS, uma menina de valor, que não se dobrou aos acordos para proteção dos coleguinhas artistas de TV e ganhadores de prêmio.

História contada. Fiz a minha parte antes (quando instaurei a apuração) e agora (quando relato a todos). Consciência renovada e mais do que tranquila. Se você ainda segue os gurus que estiveram nesta história, você fomenta um país tão lixo quanto o que critica. Se você ainda olha para isso de forma normal e uhuuuu vamos para o próximo evento, não se iluda: Voc6e é pior do que os políticos que critica em Brasília. Lembre-se disso antes de estufar o peito. A ética pregada por parte da nossa geração não passa de uma mentira e uma decepção. Que fique bem claro. Feliz 2021.

Written by

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store